Portal Padrão Barra de Identidade Visual do Governo Federal na Internet - APLICAÇÃO do Governo Brasileiro

Tecnólogo em Gestão da Qualidade

Tecnólogo em Gestão da Qualidade

O CURSO

A concepção do Curso Superior de Tecnologia em Gestão da Qualidade se fundamenta legal e pedagogicamente em uma proposta humanística de educação. A proposta do curso alinha-se aos preceitos constitucionais no que tange aos direitos sociais da educação e do trabalho, apresentando-se como uma oportunidade de acesso ao direito inalienável do cidadão à educação e à formação profissional. Do ponto de vista legal, o curso é concebido a partir da consonância entre a Constituição Federal e as demais normativas que tangenciam a educação profissional tecnológica de graduação. Nesse sentido, o Curso Superior de Tecnologia em Gestão da Qualidade contempla o previsto na Lei n. 11.892, de 29 de dezembro de 2008, que institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, à qual cabe:

I – ofertar educação profissional e tecnológica, em todos os seus níveis e modalidades, formando e qualificando cidadãos com vistas na atuação profissional nos diversos setores da economia, com ênfase no desenvolvimento socioeconômico local, regional e nacional;

II – desenvolver a educação profissional e tecnológica como processo educativo e investigativo de geração e adaptação de soluções técnicas e tecnológicas às demandas sociais e peculiaridades regionais;

Ao propor a formação de tecnólogos em gestão da qualidade, tem-se em vista não apenas a formação profissional, como contribuir na construção multidimensional do sujeito. Nesse intento, o curso tem como princípios educativos o trabalho e a pesquisa, estabelecendo uma relação entre os saberes acadêmicos e a totalidade da vida. Ter o trabalho como um princípio educativo significa compreender a formação do sujeito sob um viés que considera a intersecção entre as dimensões históricas, sociais e ideológicas do mundo do trabalho. Assim, o curso não visa a formar apenas mão de obra, antes busca o desenvolvimento integral do sujeito, formando para as multidimensões da vida.

O trabalho é o princípio da sobrevivência humana, é a primeira mediação entre o homem e a realidade material e social. Para a produção de sua existência, a humanidade precisou dominar a natureza e adaptá-la a si, de modo a suprir suas necessidades. Diferentemente dos animais que se adaptam à natureza, o homem submete à natureza suas necessidades. Essa submissão é uma atividade intencional. Logo, o homem utiliza de sua capacidade de “pensar”, e não apenas a instintiva como os animais, para lançar mão dos recursos disponíveis da natureza em seu benefício (PDI 2014-2019 do IFPR, p.32-33).

Essa perspectiva de formação é pautada na indissociabilidade dos processos de ensino, pesquisa e extensão. O aporte filosófico e epistemológico do curso se ancora nos documentos institucionais do IFPR, tendo como guia a concepção histórico-crítica de educação. Assim, concebe-se tanto o sujeito quanto o conhecimento como resultantes de um processo histórico e dialético de construção. Dessa forma: tem-se como concepção de conhecimento:

A concepção de conhecimento decorre da compreensão de que os processos pedagógicos devem promover situações de aprendizagem que aproximem ciência, trabalho e cultura, de forma ativa, construtiva e criadora, substituindo a certeza pelo questionamento, o engessamento pela flexibilidade, a recepção passiva pela atividade permanente na elaboração de novas sínteses que possibilitem a construção de novos aprendizados (PDI 2014-2019 do IFPR, p. 37).

Por concepção de aprendizagem adota-se o seguinte:

A concepção de aprendizagem adotada pelo IFPR considera que a ação de ensinar ocorra a partir da problematização dos conteúdos, da proposição de desafios e do estabelecimento de relações, maneiras estas que contribuem para a autonomia intelectual dos estudantes. A ciência, enquanto conhecimento sistematizado, somente pode ser atingida se houver a relação entre a teoria e a prática (PDI 2014-2019 do IFPR, p.37).

Epistemologicamente, a gestão da qualidade ainda é um campo teórico em formação, cujas investigações abordam os processos produtivos, buscando a melhoria dos produtos e serviços com vistas à garantia de qualidade e satisfação. A complexidade que envolve os processos de gestão da qualidade não possibilita que ela tenha apenas uma definição. Assim, destaca-se a interpretação de Ishikawa (1993). Para esse autor, a qualidade tem sentido amplo, englobando qualidade do trabalho, de informação, de divisão, de pessoal, de sistema, de empresa e de objetivos. Nesse sentido, a gestão da qualidade busca o controle de todas as etapas do processo produtivo. Segundo Ishikawa, a qualidade tem um importante papel social, pois possibilita uma educação profissional que promove a qualidade de vida dos trabalhadores envolvidos no processo produtivo.

OBJETIVOS:

Objetivo Geral

O Curso Superior de Tecnologia em Gestão da Qualidade tem como objetivo geral desenvolver competências profissionais capazes de identificar e analisar problemas ligados à qualidade de produtos e processos, de forma ética e focada no desenvolvimento sustentável e em atitudes empreendedoras.

 

Objetivos Específicos

São objetivos específicos do Curso Superior de Tecnologia em Gestão da Qualidade:

 

CARACTERÍSTICAS DO CURSO

Nível: Educação Profissional Técnica de Nível Médio

Modalidade: presencial

Forma de Oferta: Integrada

Tempo de duração do curso: 03 anos

Horário de oferta do curso: de segunda a sexta-feira, das 18:50 às 22:20

Turno de oferta: Noturno

Carga horária total: 1760

Número máximo de vagas do curso: 40

Requisitos de acesso ao Curso: Ensino Fundamental completo e aprovação no Processo Seletivo regulamentado pela Pró-Reitoria de Ensino em parceria com o campus

Tipo de Matrícula: serial

Regime Escolar: anual

Eixo tecnológico: Gestão e negócios

Coordenador: Catiussa Maiara Pazuch

E-mail: catiussa.pazuch@ifpr.edu.br

Contato: 43 3535-7415

Autorizado pela Resolução N° 32 de junho de 2018 do Conselho Superior – IFPR